Carta aos ex-alunos | 12 de outubro

Ativo 1

Caros Ex-Alunos,
Caros Ufopianos Estudantes, Técnicos Administrativos e Professores,

Hoje, 12 de Outubro, dia da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora da Conceição Aparecida, a Escola de Minas completa 144 anos de inauguração!

Sempre penso nessa coincidência: o aparecimento da Grande Padroeira que reúne em Fé todo o Povo Brasileiro, em 1717, e a inauguração da Escola de Minas, em 1876! Um traço forte de brasilidade envolve esses dois acontecimentos, o primeiro na ordem espiritual e o segundo na ordem terrena, mas ambos destinados a influir nos destinos do Brasil.

Nesses 144 anos, podemos dizer que a Escola sobrevive a muitas intempéries. Nosso País é pouco dado a tradições, especialmente na área de Educação. Falamos daquela tradição que, como uma árvore, muda o floreio a cada primavera, mas mantém as suas raízes. Se as raízes da Escola de Minas não fossem profundas, certamente já nos teríamos sucumbido e não teria sido sob o “peso da glória” como muito bem analisou o Historiador José Murilo de Carvalho.

De fato, desde 1979, ano do início da implantação de fato da UFOP, uma incompatibilidade absurda vem sendo imposta, de fora para dentro, entre a Universidade e a Escola. Trata-se de algo artificial, pois na sua essência a Escola é e sempre foi universitária. Gorceix não fechou as grades curriculares à abertura universitária introduzindo nos Cursos as disciplinas de interface com as Biociências e as Ciências Humanas e Sociais a exemplo da Botânica, da Zoologia, da Filosofia e da Economia. Os egressos da Escola de Minas, que vão do Cientista Carlos Chagas ao cantor João Bosco, passando por Santos Dumont, sempre foram ministros de Estado, fundadores e presidentes de empresas, fundadores e reitores de universidades. Não poderiam sê-lo se não fossem universitários na sua formação.

Hoje não é dia de falar das aludidas intempéries. Mas, há uma que, por ser tão sufocante, precisa ser mencionada: respeitemos o nome da Escola de Minas! Não matemos o nome da Escola-Mãe, pois sem o seu nome, ela se despersonaliza e se acaba! Urgentemente, encontremos um meio de fazer a “tradição” dos valores da Escola para os que aqui vêm estudar e trabalhar.

Isto é parte de nosso plano de trabalho. A Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto retomará o seu brilho como toda a Universidade o fará. Estaremos nessa jornada em 2021! Temos experiência e independência para fazê-lo e, nisso, teremos o apoio dos Discentes, Docentes e Técnicos Administrativos da UFOP.

Hoje, 12 de outubro, lembremo-nos dos que aqui passaram, dos que ajudaram a construir essa importante unidade da Universidade Federal de Ouro Preto! E no dia 19, saudemos o aniversário do “Henri”, aquele que, na luta por mais recursos, já em 1876, disse: “Saibamos pedir, Senhores, porque é pela grandeza do Brasil que o fazemos!”.


Parabéns, Escola de Minas!
Parabéns, UFOP!
Salve Nossa Senhora Aparecida!
Chapa 3: Prof. Antonio Maria Claret de Gouveia
Prof. Fausto Aloísio Pedrosa Pimenta

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Queremos te ouvir!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carta proposta completa:

Últimas publicações:

Redes sociais

Acompanhe de perto nosso trabalho pelo Facebook e Instagram!

E-mail